O que O Livro de Urântia significa para mim - Moustapha N’Diaye

Versão para impressãoVersão para impressão
Moustapha N’Diaye

Por Moustapha N'Diaye, Dakar, Senegal

Pelo que me lembro - como provavelmente é verdade para a maioria dos homens e mulheres - sempre me fiz perguntas, consciente ou inconscientemente, sobre explicações de coisas e fenômenos ao meu redor. Foi principalmente sobre fenômenos naturais, especialmente quando eles atingiram proporções assustadoras, como tempestades. As mesmas questões surgiram em outras formas, toda vez que eu aprendi que uma pessoa idosa que eu conhecia tinha acabado de morrer. A morte de um jovem parecia ainda mais terrível.

Ao crescer e terminar de aprender a ler e escrever, eu estava interessado em decifrar tudo ao meu redor, especialmente coisas que eu não entendia, ou melhor, que eu entendia do meu jeito. Tópicos de interesse foram: psicologia, esoterismo, ocultismo, Deus, religião, hermetismo, teosofia, ciências divinas e artes sacras. Na minha mente em desenvolvimento, tomou forma, desde a escola primária, um interesse em compreender as respostas às questões científicas do “como” e às questões mais difíceis do “porquê”.

No entanto, não foi realmente uma busca consciente - pelo menos não ainda. Ela continuou durante meus anos de ensino médio em uma academia militar na cidade de Saint Louis, localizada a 270 quilômetros da cidade de Dakar, onde nasci e cresci. Depois de me formar em 1975, prossegui estudos de engenharia em Lyon, na França. Desta vez surgiu um verdadeiro questionamento da ordem da ciência e do próprio propósito da vida.

Durante os cinco anos que passei na França, li centenas de obras nas livrarias esotéricas de Lyon, algumas na sua totalidade e algumas em parte. Percebi muito rapidamente que a maioria desses livros andava em círculos sem resultados. Por isso, quando visitei a minha casa no Senegal e descobri que o meu pai tinha começado um círculo de estudo, participei entusiasticamente. Seu estudo tomou a forma de perguntas e respostas sobre todos os assuntos, sem exceção. Este círculo era composto por cerca de 50 pessoas, jovens acadêmicos em sua maioria, com mulheres na maioria, que se reuniam todas as tardes de sábado na casa onde eu cresci.

Logo percebi que as respostas dadas às várias perguntas eram muito mais satisfatórias para minha mente e me tornavam mais consciente de minha alma, do que tudo o que adquiri ao ler todos aqueles livros.

Em 1981, uma experiência muito pessoal e altamente impressionante me ajudou a mudar minha abordagem para a compreensão da realidade viva. De fato, essa experiência - uma resposta a uma oração muito pessoal - me fez entender claramente que Deus não está fora de nós, mas dentro de nós. Essa experiência também me fez entender que quando oramos a Deus por dentro, Suas respostas vêm através do mundo fora de nós.

Naquele ano, o círculo de estudo decidiu buscar um ensino direto e estruturado e substituiu o fórum de perguntas e respostas nas tardes de sábado. Desde então, o grupo tem um formato de ensino estruturado e forneceu educação espiritual a várias centenas de pessoas, principalmente da fé muçulmana (o Senegal é um país predominantemente muçulmano), mas também para alguns cristãos. Atualmente, estamos no terceiro grupo de estudantes que se tornaram professores.

Chegamos a perceber que devíamos essa clareza intelectual e espiritual, coordenada com nossas personalidades, a uma implementação inteligente das verdades do Livro de Urântia, adaptadas a nosso ambiente cultural e social. Nossa professora recebeu a primeira tradução francesa, La Cosmogonie d'Urantia, nos anos 60 do tradutor Jacques Weiss. Em 1998, a pedido do nosso grupo de estudo, telefonei para a Urantia Foundation. Como eu falava francês, meu chamado foi redirecionado para o fiduciário Georges Michelson-Dupont, na França, e assim nossa ligação foi estabelecida com o movimento de Urântia.

O primeiro contato face a face com os leitores fora de nosso grupo aconteceu em dezembro de 1998. Georges nos conectou com Norman Ingram, que estava distribuindo cópias em inglês do Urantia Book em países africanos de língua inglesa. Ele precisava de um contato no Senegal (um país de língua francesa) para pegar os livros que foram enviados do porto de Marselha para o porto de Dakar. Norman tinha planejado ficar dois ou três dias em Dakar antes de continuar sua viagem para a África do Sul, mas acabou ficando em minha casa por quase um mês. Foi assim que recebemos nossos primeiros livros de Urântia em inglês.

Olhando para trás, agora percebo que através de toda essa aventura caracterizada por um interesse precoce em ler todos os tipos de literatura religiosa, meu Ajustador do Pensamento estava me preparando para a expressão progressiva e sempre crescente de Deus em meu crescimento espiritual. Eu não poderia ter apreciado completamente o valor dos ensinamentos do Livro de Urântia se eu não tivesse seguido esse caminho caótico em minha busca pessoal. Agora vejo que O Livro de Urântia é muito mais do que apenas outro livro religioso. O Livro de Urântia é uma “caixa de ferramentas” prodigiosa e indispensável para futuros professores, qualquer que seja a estrutura humana na qual eles devem operar. Apresenta, com autoridade e sabedoria, o coração de todas as tradições religiosas humanas que reconhecem a vida interior e o Ajustador do Pensamento.

O livro também fornece, em um sentido humano, uma estrutura ideal para todo pensamento humano que não é estritamente religioso, mas responde à verdade, como é todo pensamento normal pela criação. Finalmente, permitiu-me ver por mim mesmo o quanto a partilha espiritual com outras pessoas das manifestações de nossa fé pessoal, por diferentes e até divergentes, é possível - quando se baseia na sinceridade da busca pessoal, nas verdades. dos ensinamentos do Livro de Urântia e do amor de Deus que é ilustrado tão perfeitamente pela vida na carne do Filho Mestre do nosso universo local.

Assane Diagne, Ndiawar Ndiaye, Salimata Bamba Diagne, Line St- Pierre, Gaétan Charland, Amadou Diagne, Moustapha Ndiaye, Guy Perron, Cheikh Ndiaye, Lamine Ndour, Khatabe Ndiaye
Assane Diagne, Ndiawar Ndiaye, Salimata Bamba Diagne, Line St- Pierre, Gaétan Charland, Amadou Diagne, Moustapha Ndiaye, Guy Perron, Cheikh Ndiaye, Lamine Ndour, Khatabe Ndiaye

Foundation Info

Versão para impressãoVersão para impressão

Urantia Foundation, 533 W. Diversey Parkway, Chicago, IL 60614, USA
Tel: +1-773-525-3319; Fax: +1-773-525-7739
© Urantia Foundation. All rights reserved