História

Versão para impressãoVersão para impressãoEnviar por emailEnviar por email

História do Movimento de Urântia

Pelo dr. William S. Sadler, 1960

Atividades de contato anteriores aos Documentos de Urântia
Como os Documentos de Urântia começaram
Como o Fórum começou
Introdução do Fórum aos "contatos"
O Fórum começa a fazer perguntas
O Fórum torna-se um grupo fechado
Como obtivemos os Documentos de Urântia
Como não obtivemos O Livro de Urântia
Motivos para o silêncio, em respeito à origem de O Livro de Urântia
Os primeiros Documentos de Urântia
Recepção dos Documentos Completos
A demora em receber os Documentos de Jesus
Funcionamento dos Comissários de Contato
Os Setenta
O mandato de publicação
A Fundação Urântia
A Irmandade de Urântia
Preâmbulo
Distribuição de O Livro de Urântia

Vários membros deste grupo que participaram dos "contatos" preliminares que levaram ao aparecimento dos Documentos de Urântia, tiveram experiência considerável na investigação de fenômenos psíquicos. Este grupo inicialmente chegou à conclusão de que os fenômenos relacionados com a personalidade, que mais tarde foi associados com os Documentos de Urântia, eram de nenhuma maneira semelhantes a qualquer outro tipo bem conhecido de ocorrências psíquicas - como a hipnose, escrita automática, clarividência, transes, mediunidade espírita, telepatia ou dupla personalidade.

Deve ficar claro que os antecedentes dos Documentos de Urântia não tem de maneira alguma ligação com o chamado espiritualismo -- com suas sessões espíritas e supostas comunicações com espíritos de seres humanos falecidos.

Atividades de contato anteriores aos Documentos de Urântia

Parece que, durante estes primeiros anos, os nossos amigos invisíveis estavam envolvidos em profundos testes da personalidade de contato, ensaiando a técnica de comunicação, selecionando os Comissários de Contato -- na verdade, de modo geral, ajustando o palco para o subsequente início da apresentação dos Documentos de Urântia.

Durante estes primeiros anos, fomos apresentados a muitos conceitos novos e um pouco estranhos para nós, do universo de universos, e preocupados com o homem e sua vida na terra.

Entre essas inúmeras novas ideias de cosmologia e filosofia, a seguintes podem ser mencionadas:

  • Um novo conceito de um vasto cosmos
  • Milhões de outros planetas habitados
  • Introdução aos inúmeros, diferentes e variados corpos de personalidades celestes.
  • Confirmação da origem evolutiva da humanidade -- até mesmo de um cosmos evolutivo.
  • Indícios de múltiplas Deidades Criadoras.
  • Tentativa de teste de nossos conceitos teológicos. Paciente determinação de quão longe nós podemos ir na direção de modificar nossas crenças teológicas e opiniões filosóficas.
  • Sem o perceber, ao longo de um período de vinte anos, nossas atitudes e opiniões religiosas fundamentais foram consideravelmente alteradas.
  • Nós fomos sendo familiarizados com termos como "A primeira fonte e centro", "Havona", "superuniversos" e o "Ser Supremo" -- mas tivemos idéias escassas quanto ao real significado desses nomes.
  • Também ouvimos palavras tais como "Espíritos Mestres", "espaço exterior" e "Diretores de Energia". Mas, novamente, entendemos pouco sobre seu significado. Também aprendemos sobre várias ordens de anjos.
  • Nós ouvimos sobre "Ajustadores de pensamento", mas nosso conceito do significado do termo foi vago e indefinido.
  • Nós adquirimos um conceito distorcido do nível moroncial de existência -- mas nunca ouvimos o uso da palavra "morontia" até Os Documentos começarem.
  • Os intermediários foram muito reais para nós -- frequentemente nós falamos com eles durante nossos variados "contatos". Entendemos plenamente que os intermediários secundários supervisionaram os contatos.
  • Ouvimos algumas coisas sobre a rebelião de Lúcifer, mas conseguimos pouca informação sobre Adão e Eva.
  • Ganhamos a impressão de que havia razões especiais para a outorga de Jesus em Urântia, mas tivemos pouca ou nenhuma idéia sobre a natureza dessas razões não reveladas.
  • Ouvimos referências ocasionais sobre a vida e ensinamentos de Jesus -- mas elas eram muito cautelosas na introdução de quaisquer novos conceitos sobre a outorga de Michael em Urântia. De toda a Revelação de Urântia, os Documentos de Jesus foram a maior surpresa.
  • Enquanto não ouvimos o termo "Corpo de Finalidade", tinhamos uma idéia nebulosa de que o paraíso pode ser o destino dos mortais sobreviventes.

Nossos amigos superhumanos, assim, passaram mais de duas décadas em alargar nossos horizontes cósmicos, ampliando nossos conceitos teológicos e expandindo nossa filosofia sobre tudo.

Nunca percebemos o quanto nosso pensamento religioso tinha sido expandido até que Os Documentos começaram a chegar. Como a Revelação progrediu, nós começamos a apreciar mais plenamente como tínhamos sido preparados para a grande alteração de nossas crenças religiosas por estes contactos preliminares estendidos por um período de vinte anos de pré-educação.

Nosso treinamento de aprendizado para o serviço subsequente, em associação com a apresentação dos Documentos de Urântia, foi facilitado pelo fato de que, exceto os contatos com os intermediários, não houve dois contatos parecidos. Raramente encontramos as personalidades visitadoras mais de uma vez. Cada contato era completamente diferente de qualquer outro e de tudo o que tinha sido antes. E toda essa experiência foi um treinamento educacional liberal e extenso preparatório na expansão de nossa cosmologia, teologia e filosofia - para não mencionar nossa introdução em novas idéias e conceitos sobre uma vasta gama de objetos mais mundanos.

A discussão limitada da vida e ensinamentos de Jesus durante estes contatos pré-revelatórios pode ser explicada pelo fato de que os intermediários foram um pouco dúbios quanto à autoridade que eles tinham em tais assuntos – como mostrado mais tarde, quando um ano inteiro foi consumido no esclarecimento do direito deles de recontar a história da outorga de Michael.

Aqueles de nós que inicialmente participaram dessas vigílias noturnas nunca suspeitaram que estávamos em contato com qualquer coisa sobrenatural.

Durante estes primeiros anos, todas as nossas observações e investigações fracassaram totalmente em revelar a técnica de passar as mensagens para a escrita.

Como os Documentos de Urântia começaram

Depois de cerca de vinte anos de contato experiente, um suposto estudante visitante, durante uma destas vigílias noturnas, falando adormecido deste assunto, em resposta a uma de nossas perguntas, disse: "Se você soubesse o que está em contato com você, não perguntaria sobre tais questões triviais. Você preferiria fazer perguntas tais como as que podem obter respostas de valor supremo para a raça humana."

Isso foi algo como um choque, como também uma repreensão suave, e nos levou todos a olhar para esta experiência única de uma maneira nova e diferente. Mais tarde naquela noite, um de nós disse: "Agora eles pediram por isso -- deixe-nos dar-lhes perguntas que nenhum ser humano pode responder."

Agora é melhor deixar estes assuntos descansarem aqui, enquanto nós mudamos esta narrativa para uma condição nova e diferente.

Como o Fórum começou

O Dr. Willi S. Sadler, membro deste grupo inicial de observadores e investigadores, conta a seguinte história sobre a origem do grupo de pessoas interessadas, que depois ficou conhecido como o "Fórum". Ele diz: "Em meu caminho para a Universidade de Kansas para entregar algumas palestras sobre a psicologia da Gestalt, escrevi uma carta ao meu filho dizendo que eu pensei que os médicos deveriam tentar manter algum contato com seus antigos pacientes. Eu sugeri que ele falasse com sua mãe sobre a viabilidade de convidar alguns dos nossos velhos amigos para encontros nas tardes de domingo para uma ou duas horas de discussão informal e de intercâmbio social.

Quando voltei para Chicago numa manhã de domingo, eu achei que minha esposa tinha convidado um grupo de nossos antigos pacientes para nos encontrar em nossa casa a tarde às 03:00 hs. O plano era para conduzir estas reuniões de domingo à tarde, algo como segue: primeiro, ter uma conversa sobre algum tema de saúde -- tais como o tratamento do resfriado comum, a causa e a cura da preocupação e então, depois de uma xícara de chá, se envolver em discussões informais -- perguntando e respondendo dúvidas.

Com o tempo, este grupo tornou-se um encontro cosmopolita, consistindo de homens e mulheres profissionais -- médicos, advogados, dentistas, ministros, professores -- juntamente com indivíduos de todos os caminhos da vida. Agricultores, donas de casa, secretárias, trabalhadores de escritório e trabalhadores comuns.

Introdução do Fórum aos "contatos"

Atualmente, me pediram para dar uma série de palestras sobre "Higiene Mental", ou "Fenômenos Psíquicos". No início da minha primeira exposição, eu disse: "Com apenas uma ou duas exceções, todos os fenômenos psíquicos que eu investiguei revelaram ser fraudes conscientes ou inconscientes. Alguns eram fraudes deliberadas -- outros foram esses casos peculiares em que o agente foi vítima dos enganos de sua mente subconsciente."

Eu não tinha dito muito mais do que isso, quando o grupo falou, dizendo: "Doutor, se o senhor contatou algo que não foi capaz de resolver -- seria interessante -- conte-nos mais sobre isso."

Pedi para a Dra. Lena pegar algumas anotações que ela tinha feito em um recente "contato" e lê-los ao grupo. Deve ser entendido que até este momento, não havia nenhum segredo conectado com este caso. Os Documentos de Urântia não tinham começado a aparecer.

Foi por volta deste tempo que estas reuniões de grupo em nossa casa, nas tardes de domingo, começaram a ser chamadas de o "Fórum".

O grupo manifestou um interesse tão grande neste caso, que eu nunca consegui dar nenhuma das palestras de saúde como havia sido planejado.

Foi durante estas discussões informais semanais, que surgiu o desafio de perguntas mais sérias, que pudessem obter informação de valor para toda a humanidade.

O Fórum começa a fazer perguntas

Nós contamos tudo sobre isso ao Fórum e os convidamos a se juntarem a nós na elaboração de perguntas. Decidimos começar com perguntas relativas à origem do cosmos, Deidade, criação, e outros temas que estavam muito além do conhecimento atual da humanidade.

No domingo seguinte, diversas outras perguntas foram trazidas. Organizamos estas perguntas, descartando as duplicatas e, de um modo geral, as classificamos. Pouco tempo depois, o primeiro Documento de Urântia surgiu, em resposta a estas perguntas. Da primeira à última, quando Os Documentos apareceram, as perguntas desapareceram.

Este foi o procedimento seguido ao longo dos muitos anos de recepção dos Documentos de Urântia. Sem perguntas -- sem Os Documentos.

O Fórum torna-se um grupo fechado

Nessa época, o Fórum, da forma que era, foi tirado de nós. Fomos instruídos para formar um "grupo fechado" -- exigindo de cada membro assinar um juramento de sigilo e discutir Os Documentos e todos os assuntos referentes aos mesmos apenas com as pessoas que eram membros do Fórum.

Os bilhetes de afiliação foram emitidos e a assembléia de fundação enumerou trinta membros. A data desta organização foi de setembro de 1925. Dezessete dos membros fundadores ainda estão vivos (em 1960).

Os indivíduos encarregados de recolher as perguntas e comparar o texto digitado com o manuscrito original, vieram a ser conhecidos como os "Comissários de Contato". A partir dessa data, só estes Comissários realizaram "contatos" e receberam a comunicação escrita através da personalidade de contato.

De tempos em tempos, novos membros foram recebidos para o Fórum, depois de entrevistados pelos gestores e assinando a mesma promessa dos membros fundadores da Assembléia. Esta promessa diz: "Nós reconhecemos nosso compromisso de sigilo, renovando a nossa promessa de não discutir as Revelações de Urântia ou assuntos desta natureza com qualquer um, excepto membros ativos do Fórum e não tomar notas de tal material, como também ler ou discutir nas sessões públicas, ou fazer cópias ou notas do que pessoalmente lemos."

A última reunião do Fórum, como um assembléia, foi realizada em 31 de maio de 1942. Durante os 17 anos de existência oficial, o Fórum alcançou uma afiliação total de 486 membros.

Durante o período de recepção dos Documentos de Urântia, mais de 300 diferentes pessoas participaram fazendo essas perguntas sobre as origens. Com poucas exceções, todos os Documentos de Urântia foram dados em resposta a tais perguntas.

Como obtivemos os Documentos de Urântia

Quase tudo o que é conhecido ou pode ser dito sobre a origem dos Documentos de Urântia está para ser encontrado aqui e lá, em O Livro de Urântia. Uma lista de tais referências pode ser encontrada na parte traseira da sobrecapa do livro.

Vamos dar uma breve olhada estas citações.

  • Página 1, parágr. 2. Esta passagem se refere à dificuldade de apresentar conceitos espirituais abrangentes quando limitado pelas restrições da linguagem humana, tal como em inglês.
  • Página 1, parágr. 4. Uma Comissão de Orvonton participou na revelação e preparou este prefácio.
  • Página 17, parágr. 1. Na apresentação desta revelação de valores e significados espirituais aumentados, mais de mil conceitos humanos foram extraídos das mentes de seres humanos do presente e do passado.
  • Página 16, parágr. 8 & página 1343, parágr. 1. Em toda revelação da verdade, é dada preferência aos conceitos humanos mais altos existentes da idealidade e realidade. Só na ausência do conceitos humanos, é que se revela conhecimentos sobre-humanos.
  • Página 1109, parágr.  4. Os reveladores raramente são livres para antecipar descobertas científicas. A Verdade é atemporal, mas os ensinamentos sobre determinadas ciências físicas e fases da cosmologia se tornarão parcialmente obsoletos, devido a novas descobertas e o avanço das investigações científicas. A cosmologia da Revelação de Urântia não é inspirada. A Sabedoria humana deve evoluir.
  • Página 215, parágr. 2-9. A Pedagogia humana procede do simples para o complexo. A revelação de Urântia começa com o mais complexo e vai para a consideração do mais simples. Ao invés de começar com o homem buscando a Deus, os Documentos de Urântia começam com Deus, que desce e encontra o homem.
  • Página 865, parágr. 6, 7. O relato da função dos intermediários em iniciar e seguir adiante até a conclusão da Revelação de Urântia.
  • Página 865, parágr. 2, & página 1208, parágr. 7. As criaturas intermediárias são sempre empregadas no fenômeno de comunicação com seres materiais, através da técnica de "Personalidades de Contato". O "sujeito" através de quem os Documentos de Urântia foram outorgados tinha um ajustador de pensamento altamente experiente. A relativa indiferença e despreocupação do "sujeito" sobre o trabalho do seu Ajustador Residente, em todos os aspectos foram favoráveis para a execução e a conclusão deste projeto revelador.
  • Página 1256, parágr. 1. A personalidade de contato era um membro do Corpo de Reserva do Destino de Urântia. Esta foi apenas uma das várias condições que favoreceram a outorga da Revelação de Urântia.
  • Página 1008, parágr. 3. A Revelação de Urântia é a única que é apresentado por vários autores. A Revelação de Urântia, como seus antecessores, não é inspirada.
  • Página 32, parágr. 2. Um conselheiro divino "descreve a realidade e natureza do pai com autoridade incontestável."
  • Página 17, parágr. 2. Os reveladores dependem dos Ajustadores Residentes e do Espírito da Verdade para nos ajudar na apropriação da verdade na Revelação de Urântia.
  • Página 1007, parágr. 1. A Revelação se mantém em contato com a evolução. A Revelação é ajustada para a idade de sua outorga. Nova revelação mantém contato com revelações anteriores.

Como não obtivemos O Livro de Urântia

Recentemente, um grupo de ministros do norte de Indiana, que estavam envolvidos em estudar O Livro de Urântia, passou o dia conosco e, durante a noite, o dr. Sadler conduziu uma discussão sobre "Como não obtivemos O Livro de Urântia".

A seguir, um resumo daquela apresentação:

Vários membros deste grupo que participaram dos "contatos" preliminares que levaram ao aparecimento dos Documentos de Urântia, tinham considerável experiência na investigação de fenômenos psíquicos. Este grupo logo chegou à conclusão que os fenômenos relacionados com a personalidade que mais tarde foi associada com os Documentos de Urântia, não foi de maneira alguma semelhante a qualquer outro tipo bem conhecido de fenômeno psíquico -- como hipnotismo, escrita automática, clarividência, transes, mediunidade espíritual, telepatia ou dupla personalidade.

Deve ficar claro que os antecedentes dos Documentos de Urântia foram de nenhuma maneira associados com o chamado espiritualismo -- com suas sessões espíritas e supostas comunicações com os espíritos de seres humanos falecidos.

Fenômenos psíquicos: Atividades incomuns da Consciência Marginal (A Mente Subconsciente)

1. Escrita automática

2. Fala automática

  1. Falar em "Línguas" (xenoglossia)
  2. Médiuns de transe
  3. Mediunidade espiritual
  4. Catalepsia

3. Audiência automática - clariaudiência

  1. Ouvir "vozes"

4. Visão automática

  1. Estados oníricos - atividade mental confusa
  2. Visões - dramatização automática
  3. Alucinações (sentimentos mutáveis de "realidade")

5. Pensamento automático

  1. Medo automático – ansiedade neurótica
  2. Ideação automática - compulsões mentais
  3. Julgamentos automáticos - intuição, pressentimentos
  4. Associação automática de idéias - premonições
  5. Adivinhação automática - P.E.S. - percepção extra-sensorial
  6. Deduções automáticas  - alucinações – sonhos e hipnose

6. Lembranças automáticas

  1. Clarividência - associações automáticas de memória
  2. Telepatia - leitura da mente (?) [ponto de interrogação no original]
  3. Adivinhação da sorte (em grande parte fraudulenta)
  4. Maravilhas musicais e matemáticas

7. Ação automática

  1. Comportamento automático - (histeria maior, bruxaria).
  2. Movimento automático - Compulsões Motoras
  3. Manipulações automáticas - episódios maníacos
  4. Caminhar automático – sonambulismo

8. Personalização automática

  1. Esquecimento automático - amnésia
  2. Dissociação automática - personalidade dupla e múltipla
  3. Esquizofrenia – personalidade dividida

9. Estados psíquicos combinados e associados

Nota: A técnica da recepção de O Livro de Urântia em inglês, de maneira alguma é paralela ou colide com qualquer um dos fenômenos de consciência marginal acima.

Motivos para o silêncio, em respeito à origem de O Livro de Urântia

Entre as várias razões a nós dadas quando foi pedido para não discutir os detalhes de nossas experiências pessoais associados com a origem de O Livro de Urântia, as duas principais foram os seguintes:

1. Características desconhecidas. Há muita coisa ligada ao surgimento de  os Documentos de Urântia que nenhum ser humano compreende totalmente. Nenhum de nós realmente sabe exatamente como este fenômeno foi executado. Existem numerosas conexões falhas em nossa compreensão de como esta revelação veio a aparecer em inglês escrito.

Se qualquer um de nós tivesse que contar a alguém tudo o que realmente sabe sobre a técnica e os métodos utilizados ao longo dos anos para obtenção desta Revelação, esta narração não satisfaria a ninguém – há muitas conexões falhas.

2. A principal razão para não revelar a identidade da “Personalidade de Contato", é de que os reveladores celestes desejam que nenhum ser humano -- qualquer nome humano -- seja associado com O Livro de Urântia. Eles querem esta revelação repouse em suas próprios declarações e ensinamentos.

Eles estão determinados de que as gerações futuras tenham o livro inteiramente livre de todas as conexões mortais -- eles não querem um São Pedro, São Paulo, Lutero, Calvino ou Wesley. O livro não suporta nem mesmo a marca da editora que trouxe o livro para a existência.

Lembre-se: Você pode apreciar um bom poema -- mesmo que você não conheça o autor. Da mesma forma, você pode desfrutar de uma sinfonia, mesmo se você ignorar o compositor.

Os primeiros Documentos de Urântia

O primeiro grupo totalizava 57 Documentos. Então recebemos uma comunicação sugerindo que, como agora nós podíamos fazer perguntas muito e muito mais inteligentes, as agências de supervisão e as personalidades responsáveis por transmitir os 57 Documentos iriam se engajar para ampliar a revelação e a expandir Os Documentos conforme as nossas novas perguntas.

Este era o plano: nós iríamos ler um papel numa tarde de domingo e as novas perguntas seriam apresentadas no domingo seguinte. Novamente, estas seriam organizadas, classificadas, etc. Este programa cobriu vários anos e, finalmente, resultou na apresentação de 196 Documentos como agora encontrados em O Livro de Urântia.

Recepção dos Documentos Completos

De certa forma, houve uma terceira apresentação. Após receber esses 196 Documentos, disseram-nos que a “Comissão de Revelação" se contentaria em irmos aos Documentos mais uma vez e fazermos perguntas relacionadas com o "Esclarecimento de conceitos" e a "Remoção de ambiguidades". Este programa novamente tomou vários anos. Durante este período, muito pouca informação nova foi transmitida. Apenas pequenas alterações foram feitas em alguns dos Documentos. Alguma matéria foi adicionada, alguma removida, mas havia pouca revisão ou aumento do texto.

Só o que foi registrado, refere-se mais particularmente as partes I, II e III de O Livro de Urântia. Na Parte IV -- os Documentos de Jesus -- tinham uma origem diferente. Eles foram produzidos por uma Comissão de Intermediários e foram concluídos um ano mais tarde do que os outros Documentos. As três primeiras partes foram concluídas e certificadas a nós em 1934 D.C. Os Documentos de Jesus não foram entregues a nós até 1935.

A demora em receber os Documentos de Jesus

O atraso de um ano na recepção de os Documentos de Jesus -- parte IV de O Livro de Urântia -- pode ser explicado assim: os intermediários foram um pouco apreensivos sobre se envolver no fato pendente nos tribunais do universo - Gabriel versus Lúcifer -- e eles hesitaram em completar seu projeto, até que estiveram seguros de que tinham plena autoridade para recontar a história da vida de Jesus na terra.

Após alguns meses de espera, veio o mandato de Uversa determinando aos Intermediários Unidos de Urântia para prosseguir com o projeto de revelação da história de Michael quando encarnado em Urântia, não só assegurando-lhes que eles estavam a contento dos tribunais de Uversa, como também concedendo-lhes um mandato para fazer esse serviço e o direito de advertir todas e quaisquer pessoas com eles relacionados, de que se abstivessem de interferir, ou de qualquer forma prejudicar, a execução de tal empreendimento.

E esta é a explicação de porque os Documentos de Jesus apareceram um ano depois dos outros Documentos terem sido terminados.

Funcionamento dos Comissários de Contato

Durante estes primeiros anos, os Comissários de Contato receberam muitas comunicações e diretivas por escrito. Quase todas estas mensagens tinham anotação na parte inferior da última página, onde se lê: "Para ser destruído pelo fogo antes da aparição dos Documentos de Urântia de forma impressa." Foi a determinação de nossos amigos invisíveis para prevenir o aparecimento de um "Escritos Apócrifos de Urântia" na sequência da publicação de O Livro de Urântia.

Tudo isso foi encorajador para nos assegurar de que os Documentos de Urântia papéis seriam publicados em algum momento. Isto sustentou nossas esperanças através da longa espera de anos de atraso.

O fato de que nenhuma disposição nunca foi feita para a substituição de membros da Comissão de Contato que poderiam se perder por invalidez ou morte, também nos levou a sustentar a crença de que o livro seria publicado durante a vida de alguns de nós.

Os Comissários foram os guardiões do manuscrito de Urântia, mantendo a cópia carbonada da transcrição datilografada em um cofre à prova de fogo. Eles também foram encarregados de toda a responsabilidade pela supervisão de todos os detalhes relacionados com a publicação do livro, protegendo os direitos autorais internacionais, etc.

Nos foi imposto de evitar discutir a identidade da Personalidade de Contato e, após a publicação do livro, de fazer qualquer declaração a qualquer momento, não importando se o "sujeito" ainda estivesse vivo ou já falecido.

Os Setenta

Em 1939, entre nós, alguns pensaram que tinha chegado o tempo para formar uma classe para se empenhar em um estudo mais sério e sistemático dos Documentos de Urântia. Este projeto foi apresentado ao Fórum e quando aqueles que quiseram participar deste grupo foram contados, verificou-se que apenas 70 pessoas desejavam entrar para este estudo. Então, por vários anos, essa classe foi referida como "Os Setenta". Dois ou três anos anteriores à formação de “Os Setenta”, um grupo informal se reuniu nas noites de quarta-feira.

“Os Setenta” conduziram o estudo sistemático dos Documentos de Urântia desde 3 de abril de 1939 ao verão de 1956, e foi o precursor da posterior "Escola da Irmandade de Urântia".

Durante estes anos, “Os Setenta” continha 107 alunos inscritos.

“Os Setenta” continuou seu trabalho de estudo, escrita de tese e prática de ensino por 17 anos. Durante este período, oito comunicações escritas foram dadas a “Os Setenta” pelo Serafim de Progresso ligado ao sobre-humano Governo Planetário de Urântia.

O mandato de publicação

Finalmente, a permissão para publicar Os Documentos de Urântia foi concedida. A Introdução para este mandato diz:

"Nós consideramos O Livro de Urântia como um aspecto da evolução progressiva da sociedade humana. Não é ligado ao episódio espetacular da revolução da época, embora pareça ter sido programado para aparecer no início de tal revolução na sociedade humana. O livro pertence à época imediatamente posterior ao fim da presente luta ideológica. Esse será o dia quando homens estarão dispostos a procurar a verdade e a retidão. Quando o caos da confusão presente tiver passado, vai ser mais prontamente possível formular o cosmos de uma nova e melhorada era das relações humanas. E é por esta melhor ordem na terra que o livro ficou pronto."

"Mas a publicação do livro não foi adiada para uma data (possivelmente) um tanto distante. Uma primeira publicação do livro foi fornecida para estar à mão para a formação de líderes e instrutores. Sua presença também foi necessária para cativar a atenção de pessoas de recursos que assim podem ser conduzidos a fornecer fundos para a tradução em outras línguas".

Após a recepção destas instruções, os Comissários de Contato entraram na tarefa de publicação O Livro de Urântia e de elaboração de planos para sua distribuição.

Os Documentos foram publicados assim que os recebemos. Os Comissários de Contato não tinham nenhuma autoridade editorial. O nosso trabalho foi limitado à "ortografia, capitalização e pontuação".

Antes a morte da dra. Lena K. Sadler em agosto de 1939, ela tinha coletado cerca de vinte mil dólares de fundos para a publicação, e isto foi usado para definir o tipo e preparar chapas para a impressão do livro.

A Fundação Urântia

Foram estas placas de O Livro de Urântia que constituíram a base para a formação da Fundação Urântia. Esta fundação, criada sob as leis de Illinois, foi concluída em 11 de janeiro de 1950. Os membros do  primeiro Conselho de curadores foram:

  • William M. Hales, Presidente
  • William S. Sadler, Jr., Vice-Presidente
  • Emma L. Christensen, Secretária
  • Wilfred C. Kellogg, tesoureiro
  • Edith Cook, secretário adjunto

Soubemos que um membro rico do Fórum desejou contribuir com cincoenta mil dólares para a publicação do Livro. Por instrução, isto foi contornado, porque nos disseram que era melhor dar a todas as partes interessadas a possibilidade de contribuir para o fundo de publicação.

Nesse sentido, um apelo foi feito para US $50.000,00 para custear as despesas de impressão de dez mil cópias. A resposta foi imediata. A soma que contribuiu foi superior a quarenta e nove mil dólares. O primeiro dinheiro a chegar no escritório da Fundação foi mil dólares do falecido Sir Hubert Wilkins, o explorador do Ártico.

O livro foi publicado sob direitos internacionais de cópia em 12 de outubro de 1955.

A Irmandade de Urântia

Era inevitável que alguma espécie de organização fraterna viesse a se formar dos ensinamentos de O Livro de Urântia. Todas as pessoas interessadas podiam ver que os ensinamentos de Urântia eram opostos ao sectarismo dos crentes cristãos. Estava claro que não era o propósito da Revelação de Urântia iniciar uma nova igreja.

Assim, em 2 de janeiro de 1955, um grupo de pessoas que acreditava nos ensinamentos do Livro e que estavam interessados em sua proclamação, se reuniram em Chicago e concluíram a organização da Irmandade de Urântia, uma organização voluntária e fraterna de crentes de Urântia. Estas pessoas formaram o grupo de fundadores da Irmandade de Urântia e eram em número de 36.

Uma constituição e estatutos foram adotados, e desde essa data numerosas sociedades foram constituídas por todos os Estados Unidos.

Quando dez ou mais pessoas que estão familiarizados e acreditam nos ensinamentos de O Livro de Urântia assim o desejam, podem ser licenciados como uma Sociedade de Urântia. A afiliação a qualquer igreja ou organização fraternal não interfere com afiliar-se a uma Sociedade de Urântia.

Os organizadores originais da Irmandade e seus sucessores deveriam dirigir a organização pelos primeiros nove anos. Depois disso, a Irmandade seria dirigida por ação da Assembléia Representante Trianual, composta por representantes de várias Sociedades de Urântia.

As comissões departamentais da Irmandade são:

  • Comitê judicial
  • Comitê de licenciamento
  • Comitê de relações fraternais
  • Comitê de extensão doméstica
  • Comitê de extensão estrangeira
  • Comitê de educação
  • Comitê de publicações
  • Comitê financeiro
  • Comité de atividades diversas

Os presidentes dos comitês, juntamente com os oficiais de Irmandade, constituem o Comitê Executivo da Irmandade.

O objetivo geral da Irmandade é bem expresso no preâmbulo da sua Constituição.

Preâmbulo

"Na medida em que é de nossa mais solene convicção de que o conforto, a felicidade e o bem-estar do homem serão engrandecidos pela criação de uma organização devotada para os efeitos a seguir expressos, melhor podem ser realizados através da assistência mútua e a associação de um corpo de pessoas trabalhando juntas por uma causa comum, por meio desta unimo-nos como uma associação voluntária e sociedade sob o nome de Irmandade de Urântia, e por este meio adotamos e estabelecemos esta constituição da Irmandade de Urântia."

Os 36 fundadores originais formaram o Conselho Geral, que foi concebido para governar a Irmandade durante os primeiros nove anos.

A Primeira Sociedade de Urântia de Chicago foi organizada e e recebeu a carta de licença número 1 em 17 de junho de 1956. A Sociedade tinha 34 sócios fundadores. A presente afiliação da Primeira Sociedade é de 142 membros.

Atividades da Fraternidade de Urântia

Em cooperação com a Fundação Urântia, a Irmandade agora está interessada na finalização do Índice para O Livro de Urântia, uma concordância. Sua publicação é esperada para 1961.

Estamos todos interessados no progresso da tradução francesa, que está em revisão final e pode ser publicada no final de 1961.

A Irmandade concluiu recentemente a formulação de um Serviço Fúnebre, que consiste de passagens bíblicas e seleções apropriadas de O Livro de Urântia.

A Irmandade patrocina uma publicação trimestral de notícias, que o Comitê Executivo envia a todas as Sociedades de Urântia e outras pessoas interessadas.

Os cartazes da Irmandade anunciam muitos grupos de estudos espalhados por todos os Estados Unidos e em países estrangeiros. Eventualmente, a maioria destes estudo grupos irão se desenvolver em Sociedades de Urântia.

Durante o ano passado, dois representantes de campo foram nomeados para apoiar Sociedades de Urântia individuais e visitá-las periodicamente.

Em dezembro de 1959, o Bureau de Receitas Internas do governo dos Estados Unidos regulamentou que a Fundação Urântia, a Irmandade de Urântia e a Corporação da Irmandade de Urântia estavam isentos de pagar impostos de renda, e que todas e quaisquer contribuições feitas a essas organizações são dedutíveis dos impostos de renda de tais doadores.

O Prêmio Van

A seção 3 do artigo Treze da Constituição da Irmandade de Urântia diz: "Se ao parecer do Comité Executivo, qualquer membro da Irmandade de Urântia executar ou proceder algum serviço incomum, extraordinário, ou distinto, o Comité Executivo apresentará ao Conselho geral o nome de tal membro com a recomendação de que um prêmio adequado ou citação em reconhecimento lhe seja dado. Mediante a apresentação de tal recomendação, o Conselho Geral, pelo voto unânime de todos os conselheiros presentes em reunião devidamente constituída, pode dar ou conferir para tal membro este prêmio ou citação em reconhecimento do serviço incomum, extraordinário ou distinto de tal membro, conforme o Conselho Geral considere apropriado e adequado. "

Em 25 de janeiro de 1959, o primeiro prêmio ao abrigo desta disposição constitucional foi feito ao Presidente da Escola de Fraternidade de Urântia.

A justificativa para a proposição deste Prêmio Van é recitada na declaração do prêmio, onde se lê:

"A percepção espiritual e a firmeza moral que permitiu Van manter tal atitude inabalável de lealdade para com o governo do universo, foi produto do pensamento claro, raciocínio sábio, juízo lógico, sincera motivação, propósito altruísta, lealdade inteligente, memória experiencial, caráter disciplinado, e a dedicação incondicional de sua personalidade no cumprimento da vontade do Pai no Paraíso."

A conclusão do prêmio diz: "Em honra de seus muitos anos de serviço dedicado e distinto em prol do movimento de Urântia".

Distribuição de O Livro de Urântia

Na época da publicação de O Livro de Urântia, nos deram muitas sugestões a respeito dos métodos a empregar na sua distribuição. Estas instruções podem ser resumidas como segue:

1. Estude os métodos utilizados por Jesus na introdução de sua obra na terra. Observe como ele trabalhou discretamente no início - tantas vezes, até mesmo após um milagre, ele iria advertir o destinatário de sua ministração, dizendo: "Não conte a ninguém o que aconteceu com você".

2. Fomos aconselhados a evitar todos os esforços para conseguir o reconhecimento precoce e espetacular.

Durante os primeiros cinco anos, esses métodos têm sido respeitados. A distribuição aumenta anualmente. Atualmente, mais de 50 livrarias, de costa a costa, distribuem o livro.

A grande maioria da Irmandade concorreu neste tipo de apresentação silenciosa e gradual do Livro. Apenas alguns indivíduos exibiram alguma inquietação e ânsia por planos agressivos por maior distribuição.

Uma coisa deve ficar claro: nada é feito para interferir com os esforços enérgicos e entusiastas de qualquer um em apresentar O Livro de Urântia aos seus diversos contatos e associações humanas.

Foundation Info

Versão para impressãoVersão para impressão

Urantia Foundation, 533 W. Diversey Parkway, Chicago, IL 60614, USA
Tel: +1-773-525-3319; Fax: +1-773-525-7739
© Urantia Foundation. All rights reserved